B-R-O Bró: entenda por que o período costuma ser mais quente no Ceará

3 de setembro de 2020 # # # # #

Sensação de calor aumenta no segundo semestre (FOTO: Luis Graterol/Unsplash

Sensação de calor aumenta no segundo semestre (FOTO: Luis Graterol/Unsplash

Os meses de setembro, outubro e novembro, isto é, os meses terminados em “Bró” costumam ser os mais quentes do ano no Ceará. Na verdade, o cenário é semelhante em todo o Nordeste. Neste período, as temperaturas máximas médias são, historicamente, mais elevadas em relação aos demais meses.

Conforme as normais climatológicas dos municípios monitorados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), o estado do Piauí concentra as maiores temperaturas máximas médias, sendo a cidade de Floriano com o maior valor: 37,5°C. No Ceará, lidera com 36,4°C.

“Se a temperatura aumenta, reduz a umidade relativa do ar, assim as tardes quentes, principalmente no sertão, vêm acompanhadas de tempo seco. O que aumenta ainda mais a sensação de calor”, explica Meiry Sakamoto, gerente de Meteorologia da Funceme.

Como pontuado, a umidade relativa e a temperatura do ar são inversamente relacionadas uma à outra, ou seja, nos horários com as maiores temperaturas, principalmente no início da tarde, registra-se a menor umidade relativa do ar. Há ainda diferenças desse fenômeno entre interior do estado e faixa litorânea.

“Áreas do interior do estado apresentam umidade relativa do ar mais baixa quando comparadas ao litoral devido à própria continentalidade, ou seja, a distância do oceano. Além disso, contribuem as condições predominantemente mais secas do solo e da vegetação reduzindo a evapotranspiração para a atmosfera”

Em outubro, as temperaturas máximas médias costumam aumentar ligeiramente em relação a este mês. Em Fortaleza, por exemplo, a normal climatológica em setembro é de 31°C. Já no próximo mês, é de 31,2°C.