Com temporada de ventos mais fortes, Guaramiranga registra rajada de quase 60 km/h

26 de agosto de 2019 # # # #

Rajadas acima dos 50 km/h podem mover árvores grandes e causar ondas de até de alturas mais elevadas (FOTO: Reprodução/Pexels)

Rajadas acima dos 50 km/h podem mover árvores grandes e causar ondas de até de alturas mais elevadas (FOTO: Reprodução/Pexels)

O Núcleo de Monitoramento da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou, neste domingo (25), rajada de 59,6 km/h no município de Guaramiranga, localizado no Maciço de Baturité. Este foi o maior registro do mês de agosto entre as cidades monitoradas pelo órgão cearense.

A temporada dos ventos fortes estado tem auge nos meses de agosto e setembro. Desde o fim do principal período chuvoso no Ceará, isto é, em maio, alguns fatores influenciam na elevação da intensidade dos ventos. O primeiro é a redução na nebulosidade e o também o deslocamento do Sistema de Alta Pressão Atmosférica do Oceano Atlântico Sul em direção ao Nordeste do Brasil.

‘’Nesta época do ano, o Ceará fica ‘no meio do caminho’ entre a alta pressão do Atlântico Sul e a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), fazendo com que os ventos alísios fiquem mais intensos e constantes”, explica o meteorologista da Funceme David Ferran.

Além de Guaramiranga com seus quase 60 km/h, Fortaleza também teve aumento repentino do ar chegando a 47,1 km/h. Apesar de, segundo a Escala de Beaufort, que classifica a velocidade dos ventos, apontar como vento fresco, a esta velocidade as rajadas podem mover galhos de árvores e ondas de até 3,5 metros.

Turismo e cuidados

Para quem pratica esportes náuticos à vela, o segundo semestre é a melhor época do ano no Ceará, que vira um dos destinos mais procurados por windsurfistas e kitesurfistas. Entretanto, para outros grupos, os ventos fortes representam um risco. 

A Marinha do Brasil emitiu um alerta válido até a noite de hoje sobre previsão de vento forte, isto é, até 55 Km/h, na área entre Natal e São Luís.

A Capitania dos Portos do Ceará recomenda que as embarcações de pequeno porte evitem navegar e que redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores e casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.