Cresce área classificada em seca fraca no Ceará, segundo dados do Monitor

21 de outubro de 2020 # #

O mapa mais recente do Monitor de Secas indica que a área classificada com seca fraca passou de 40,29% para 62,32%. A porção atingida está localizada predominantemente no centro-sul do estado.

Conforme a ferramenta, que é coordenada pela Agência Nacional de Águas (ANA) desde 2017 com o apoio da Funceme e ainda desenvolvida com diversas instituições estaduais e federais, o aumento da transpiração do solo e dos vegetais em consequência das altas temperaturas observadas em grande parte da região Nordeste em setembro, assim como a tradicional escassez de chuvas, provocou piora em alguns indicadores.

Especificamente no Ceará, o mês de agosto – que serve de referência para composição do mapa mais recente – apresentou acumulado médio de apenas 0,6 milímetros. A média história, porém, também é baixa: 4,9 mm, conforme dados da Funceme.

Diante do atual cenário, observa-se que a porção central do estado apresenta, conforme o Monitor de Secas, impactos de curto e longo prazos, o que significa que há possibilidade de déficits hídricos prolongados, pastagens ou culturas não completamente recuperadas.

No mesmo período do ano passado, a situação era pior, pois o Ceará tinha 70,38% do seu território variando entre seca fraca e moderada, sendo que este último nível não é observado atualmente.