Funceme participa da Water for Food Global Conference, nos Estados Unidos

29 de abril de 2019 #

Eduardo Sávio Martins fala sobre a expansão do Monitor de Secas (FOTO: Reprodução)

Eduardo Sávio Martins fala sobre a expansão do Monitor de Secas (FOTO: Reprodução)

O presidente da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Eduardo Sávio Martins, participa, entre os dias 29 de 30 de abril, da Conferência Global sobre Água para Alimentos, em Nebrasca, nos Estados Unidos.

O gestor do órgão estadual irá palestrar sobre a expansão do Monitor de Secas para os demais estados do Brasil. Hoje, além das unidades federativas do Nordeste, a ferramenta já apresenta resultados de Minas Gerais e inicia o processo de monitoramento em áreas do Espírito Santo. O tema da sua apresentação será “Monitoramento de Secas e o Sistema de Alerta Precoce no Brasil: implementação e uso para informar decisões e políticas”.

Sobre o evento

A conferência reunirá importantes especialistas e organizações internacionais para discutir “Água para um Mundo Faminto: Inovação em Água e Segurança Alimentar”, enfocando a próxima geração de pesquisa, tecnologia inteligente, desenvolvimento de políticas e melhores práticas que estão alcançando avanços nesta questão vitalmente importante. missão. A conferência encabeça uma semana de apresentações relacionadas à segurança de água e alimentos, eventos paralelos, oportunidades de networking e passeios.

Para construir sistemas agrícolas e alimentares mais resilientes e produtivos, o Daugherty Water for Food Global Institute, da Universidade de Nebrasca, busca aproveitar o espírito empreendedor de agricultores, cientistas, empresas, filantropos, investidores, agências governamentais e organizações sem fins lucrativos que estão na vanguarda da mudança.

A Conferência Global Water for Food de 2019 estimulará conversas que reúnem um espectro de partes interessadas que entendem que alimentar nossa crescente população mundial requer novas abordagens para superar uma série de desafios interconectados, como mudança climática, escassez de água e poluição, disparidade econômica, mudança preferências alimentares, desperdício de alimentos, degradação do solo, ameaças ecossistêmicas e demandas conflitantes por recursos.